A rocha e o mar

24 de março de 2020
323 Visualizações

Posicionamentos contraditórios em relação aos decretos de recolher e paralizações de atividades produtivas estão sendo postos. A proibição de aglomeração de massas, de convívio de mais de 5 pessoas, de proteção, esterilização pessoal e de locais comuns, tem o propósito comprovado de frear a propagação ao “Chinese Vírus” ou Covid-19.

Devemos zelar pela vida que nos foi dada e também a de nossos semelhantes. Não apenas por doutrinamento, como também pela qualidade de nosso habitat. Neste sentido, precisa se levar em conta a segurança em todos os seus aspectos. Seja na saúde, educação e nas condições de sustentabilidade. A situação é de profunda reflexão entre o necessário, o possível e o correto.

O tempo de controlar a curva da pandemia é fundamental para que a infraestrutura do sistema de saúde suporte a demanda. Contudo, a paralização por longo período das atividades produtivas em seus mais diferenciados segmentos, poderá criar um caos social de proporções incontroláveis.

A avaliação sobre uma liberação escalonada do Lockdown, é urgente. Uma das hipóteses seria a proteção das pessoas de riscos acentuados e liberação aos menos propensos. A celeridade da retomada da produtividade é essencial. A volta das atividades econômicas reverteria o cenário catastrófico que poderá se estabelecer.

Caso isto não ocorra, em 120 dias ou um pouco mais, estará posto o caos. Os menos favorecidos serão atingidos com a escassez de produtos e renda, ficando sob risco de sobrevivência. É necessário olhar para fora, o que outros países fizeram, analisar números, iniciando pela China, Coreia do Sul, – que em 2005 passou por uma forte epidemia – Rússia, Alemanha, Países Baixos- onde o frio prepondera- Países com pesquisas e ciências avançadas, como Israel.

Descobrir pontos de concentração e focos do chinese virus, combatê-los e voltar ao normal com o menor risco possível, é fundamental. Sim, estamos entre o mar e o rochedo, porém o mar ainda não está tão revolto. A oração é a única forma de conversarmos com Deus e ele quer esta interlocução. É especifico quando diz que se pedirmos, será dado.

E qual a razão disto?

Simplesmente para provar de que ele é Deus! Onipotente e Onipresente. Desde que existe o universo, não perdeu nenhuma luta. Vamos Orar pelo Brasil, pelo Mundo, pelos Agentes destemidos da saúde e por todos nós.

 

Um Forte Abraço,

Vítor Augusto Koch

Presidente da FCDL-RS

Últimos Posts

Guilherme Masseroni vai falar sobre as ideias que dão certo

Guilherme Masseroni vai falar sobre as ideias que dão certo

Um dos grande nomes do universo do empreendedorismo brasileiro é mais uma atração da 51a Convenção Estadual Lojista Guilherme Masseroni, um dos grandes nomes do universo do empreendedorismo brasileiro, é outra atração confirmada da 51ª Convenção Estadual Lojista,...

Redes Sociais