Diretores agridem os lojistas gaúchos ao invadirem a sede da FCDL-RS

26 de junho de 2020
5449 Visualizações

Ávidos pelo poder, Jorge Claudimir Prestes Lopes, Fernando Luis Palaoro e Moacir Paulo Lodi entraram na sede da entidade no dia 27 de maio sem qualquer amparo legal ou estatutário

 

A casa de todos os lojistas gaúchos foi alvo de ação no último dia 27 de maio. Um dia triste em que três diretores irresponsáveis, sem qualquer pudor e ávidos pelo poder, o 1º vice-presidente Jorge Claudimir Prestes Lopes, o vice-presidente Fernando Luis Palaoro e o 1º diretor-financeiro Moacir Paulo Lodi, deixaram de lado todos os preceitos morais e éticos e invadiram a sede da FCDL-RS, em Porto Alegre. Arrombaram portas, trocaram senhas de acesso às salas e manusearam documentos confidenciais sem qualquer autorização. Sem contar que até mesmo os pratos e talheres que usaram durante o período em que invadiram a entidade foram deixados empilhados para serem lavados. Enfim, praticaram uma agressão gravíssima contra os lojistas do Rio Grande do Sul, movidos por interesses pessoais totalmente escusos.

 

Os três diretores, que há muito tempo utilizam os meios mais lamentáveis possíveis para atacar não apenas o presidente da FCDL-RS, mas todas as CDLs e todos os lojistas gaúchos, com mais este ato desqualificado voltaram a demonstrar sua desconsideração para com a história do Movimento Lojista Gaúcho. A vontade de assumir o comando da federação e atender seus interesses pessoais é tamanha, que até mesmo uma decisão judicial os três tentaram distorcer. A sua ótica completamente desvirtuada os levou a querer, sem qualquer amparo legal ou estatutário, não apenas afastar do cargo o presidente legitimamente eleito, mas também querer se apossar da presidência. A má fé dos três é tão visível que o Poder Judiciário já observou na série de ações indeferidas que eles ajuizaram a arbitrariedade dos atos que praticam.

 

A absurda invasão praticada contra a sede da FCDL-RS, numa demonstração de comportamento antiético, é totalmente contrária ao Estatuto da FCDL-RS, é motivo de repúdio de todos aqueles que prezam pela integridade do Movimento Lojista do Rio Grande do Sul. A FCDL-RS não pertence a uma, duas ou três pessoas. A entidade é de todos os lojistas gaúchos, tendo construído sua trajetória de 48 anos estruturada no respeito e na defesa dos interesses da classe.

 

Além da ação arbitrária de invadirem a sede da Federação, Jorge Claudimir Prestes Lopes, Fernando Luis Palaoro e Moacir Paulo Lodi ainda permitiram que uma pessoa sem qualquer tipo de relação com a entidade, Giancarlo Ferriche Da Fonseca, consultor de Uruguaiana, tivesse acesso a documentos que não lhe dizem respeito.

 

O resultado desse ato arbitrário já gerou à Federação um prejuízo de R$ 1.153,63 com a troca das fechaduras arrombadas, a troca das senhas que foram modificadas pelos três diretores, a troca da senha do alarme da sede e a produção de uma ata notarial para registrar a invasão praticada no dia 27 de maio. Além disso, uma auditoria externa deve ser contratada para averiguar, de forma precisa, o tamanho do estrago produzido por Jorge Claudimir Prestes Lopes, Fernando Luis Palaoro e Moacir Paulo Lodi em seu gesto totalmente mal intencionado. Mais um custo extra para a entidade.

 

É importante que todas as pessoas de bem que militam no Movimento Lojista saibam que as ações que comprovam o agir arbitrário dos três diretores não ficarão sem as devidas respostas. Eles irão prestar contas de suas atitudes de disseminar a discórdia e fomentar seus interesses pessoais. Todo o mal que eles fizeram e fazem terá a devida reparação buscada pela Federação nas competentes esferas judiciais e, também, no Conselho de Ética da entidade.

 

Veja nas fotos abaixo os estragos causados e o estado em que a sede da Federação foi encontrada no dia seguinte à sua invasão. 

 

Últimos Posts

Redes Sociais