Dicas e cuidados que sua empresa deve tomar para utilizar o Pix

8 de outubro de 2020
346 Visualizações

FCDL-RS mostra como aderir ao novo sistema de pagamentos criado pelo Banco Central com toda segurança

 

O novo sistema de pagamentos que promete transformar a vida dos brasileiros, a partir de 16 de novembro, quando entrará em operação, o Pix deverá facilitar a maneira de fazer e receber pagamentos tanto de pessoas físicas quanto jurídicas.

Criado pelo Banco Central para facilitar a maneira de fazer e receber pagamentos tanto de pessoas físicas quanto jurídicas, o sistema Pix entrará em operação no dia 16 de novembro.

Pensando na utilização do sistema de pagamento com segurança a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul – FCDL-RS, disponibiliza aos varejistas gaúchos algumas dicas importantes.

O Pix é uma ferramenta criada pelo Banco Central que vai permitir a realização de pagamentos e transferências de forma mais rápida, fácil e em qualquer dia ou horário através de uma chave cadastrada pelo cliente ou, também, por QR Code. O objetivo do Pix é deixar o custo dessas operações mais barato já que não tem tarifas como as cobradas em TED e DOCS para pessoa física e MEI.

Além disso, o cliente não vai precisar mais esperar por dias úteis, expediente bancário, ou mesmo aguardar durante dias que o pagamento chegue até sua conta, pois essas transações, pelo Pix, prometem ser completadas em até 10 segundos.

O Pix deverá representar para as empresas uma redução de custos com o pagamento de fornecedores, tributos e até mesmo com o salário de funcionários. O cadastramento no Pix é o mesmo tanto para pessoa física quanto jurídica.

É preciso ter uma conta transacional (de pagamento, poupança ou corrente) registrada em um prestador de serviços financeiros (banco, plataforma de pagamentos, entre outros). Para desfrutar dos pagamentos instantâneos com o Pix a empresa deve registar sua chave nos canais do banco no qual tem conta.

A chave é um código responsável por identificar a conta no sistema do banco e pode ser cadastrado o CNPJ, telefone, uma conta de e-mail ou uma sequência aleatória de números gerada pelo próprio sistema, ou seja, é por meio dela que as empresas encontrarão seus clientes, fornecedores ou funcionários e fazer um PIX para pagamento para mesmos.

O Banco Central, responsável por todos os processamentos do Pix, garante que o sistema é tão seguro quanto os já conhecidos DOC e TED, sendo mais barato e mais rápido!

Cuidados ao utilizar o Pix

– O cadastramento das chaves do Pix está sendo alvo de phishing, uma técnica de fraude online que consiste no envio de mensagens falsas com objetivo de coletar senhas de banco e informações pessoais.

– Nesse tipo de fraude é comum que golpistas criem sites com nomes parecidos, trocando uma letra de lugar, por exemplo, para enganar usuários distraídos.

– Na hora de realizar a sua transação utilizando a Chave Pix é preciso ter os cuidados que a empresa ou o cidadão sempre tiveram. Desta forma, nunca acesse acesse links encaminhados por e-mails, postagens em mídias sociais ou SMS provenientes de pessoas e órgãos estranhos. É importante desconfiar de links recebidos.

– É fundamental, também, conferir antes o endereço do site em que serão inseridos os dados. O cadastro deve ser feito no ambiente seguro da instituição bancária. Muitos e-mails de convite de pré-cadastro do PiX, podem ser uma fraude.

– Ao receber alguma mensagem de cadastro da chave do Pix com link, evite clicar automaticamente. Entre em contato com a pessoa que enviou – no caso de ser algum conhecido – ou confira se o remetente é realmente quem deveria ser. Esse link pode ter um software que irá registrar as informações da empresa ou do cidadão.

– O uso de antivírus também é importante, pois, em muitos casos, bloqueiam os domínios falsos antes mesmo deles começarem a funcionar.

– Também é importante que as empresas analisem a melhor instituição bancária para cadastrar o Pix, pois o Banco Central deixou a critério dos bancos a cobrança de taxas. Com isso iniciou-se uma disputa por chaves onde alguns bancos já anunciaram que não cobrarão nenhuma tarifa de seus clientes corporativos igualando-os a pessoa física nesse quesito, um benefício importante a se considerar para reduzir ainda mais os custos.

– Outro cuidado que s empresas precisam ter se refere a segurança com os dados de seus clientes, fornecedores e funcionários. Nesse caso é necessário integrar o Pix ao sistema interno de gestão que controla as vendas e despesas bem como organiza processos de pagamentos e cobranças.

Agora que você sabe mais sobre o Pix, uma última e importante dica da FCDL-RS: oriente-se com o gerente de sua conta bancária.

Últimos Posts

Redes Sociais