Vendas do varejo gaúcho no Dia dos Namorados podem crescer 15% em relação a 2020

4 de junho de 2021
239 Visualizações

Expectativa da FCDL-RS é que cerca de R$135 milhões sejam injetados no comércio estadual com a compra de presentes para celebrar a data

 

O Dia dos Namorados, celebrado em 12 de junho, deve ser mais uma data que movimentará de forma positiva o comércio gaúcho. A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul – FCDL-RS avalia que o crescimento das vendas para a data deve ser até 15% superior ao volume registrado em 2020. A expectativa é que a comercialização de produtos injete cerca de R$135 milhões no comércio estadual.

 

Além do desejo de presentear a namorada ou namorado, a boa perspectiva leva em conta que neste ano, até o momento, os lojistas estão com seus estabelecimentos abertos e atendendo seus clientes de forma presencial, o que amplia o contato direto com o consumidor e permite uma experiência de compra única e personalizada.

 

– Acreditamos em um bom potencial de consumo para o Dia dos Namorados. Além de todo o romantismo da data, há o fator de que cada integrante do casal compra, no mínimo, um presente. Assim, mesmo gastando menos por causa da diminuição de renda, avaliamos que o ticket médio deve ser, na média, em torno de R$300 por casal – ressalta o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.

 

No que diz respeito aos presentes preferidos pelos casais enamorados, os artigos de vestuário, calçados, perfumes, cosméticos, flores e eletroeletrônicos, nesta ordem, são os que devem liderar as vendas.

 

– A boa notícia, em especial para os segmentos de vestuário e calçados, que registram os maiores prejuízos com as restrições impostas ao comércio desde março de 2020, é que cerca de 60% das vendas para a data deverão se concentrar nestes artigos, vindo, a seguir, perfumes e cosméticos com 19%. Ou seja, representarão um alívio importante nas finanças de muitas lojas – avalia Vitor Augusto Koch.

 

A exemplo das últimas datas comemorativas, também no Dia dos Namorados os consumidores deverão optar por quitar à vista o que comprarem, uma vez que os juros do cartão de crédito e do cheque especial continuam elevados. No que se refere a pagamento em prestações, a melhor alternativa de crédito ao consumidor é o parcelamento da própria loja.

Últimos Posts

Redes Sociais