FCDL-RS busca alternativas, junto ao Governo do Estado, para dar novo fôlego ao varejo gaúcho

3 de junho de 2020
1512 Visualizações

Presidente Vitor Augusto Koch reuniu-se com o secretário de Governança e Gestão Estratégica, Claudio Gastal, levando demandas que permitam garantir a sustentabilidade dos lojistas

 

Em reunião com o secretário estadual de Governança e Gestão Estratégica, Claudio Gastal, na tarde de quarta-feira (03/06), o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul – FCDL-RS, Vitor Augusto Koch, encaminhou uma série de demandas que buscam dar fôlego aos varejistas gaúchos, tão afetados pela crise econômica gerada em função da pandemia da Covid-19.

O presidente da FCDL-RS destacou ao secretário Claudio Gastal a sua preocupação com a sustentabilidade econômica de milhares de empresas varejistas no Rio Grande do Sul e a manutenção dos milhares de postos de trabalho gerados por elas. Diante disso, Vitor Augusto Koch solicitou que o Governo do Estado estude a viabilização de uma linha de crédito especial para os lojistas, com carência no prazo de pagamento, a fim de que os empreendimentos possam ter fluxo de caixa e condições de cumprir com os compromissos com fornecedores, colaboradores e pagar tributos.

No que se refere a tributos, Vitor Augusto Koch também pediu que o secretário encaminhe ao governador Eduardo Leite o pleito para que seja estudada a possibilidade de parcelamento do ICMS devido pela empresas, com juros baixos.

O presidente da FCDL-RS ainda solicitou que o teto de faturamento das empresas enquadradas no Simples Gaúcho, que hoje é R$ 3,6 milhões, seja igualado ao teto do Simples Nacional, que é R$ 4,8 milhões, medida que ele considera de grande importância para que aos empreendimentos de micro e pequeno porte possam projetar um crescimento futuro.

– São medidas que, certamente, podem ajudar os lojistas não apenas a garantir a sua sustentabilidade, mas, também, projetar a perspectiva de crescimento futuro, uma vez que 87% das lojas do Rio Grande do Sul são de micro e pequeno porte, com até 9 funcionários, responsáveis pela geração de 209.338 empregos diretos. Esses empreendimentos precisam do respaldo do governo gaúcho para seguirem com suas portas abertas, criando postos de trabalho e renda – destacou Vitor Augusto Koch.

O secretário Claudio Gastal elogiou a iniciativa do presidente da FCDL-RS e adiantou que levará os pleitos dos lojistas gaúchos ao governador Eduardo Leite. Disse, ainda, que o governo vai buscar ajudar os varejistas no que for possível, diante do atual cenário.

Últimos Posts

Projeto Recupera Muçum trabalha pelo reerguimento do município

Projeto Recupera Muçum trabalha pelo reerguimento do município

Integrante do Projeto Recupera Muçum, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) do município trabalha com força pela retomada das atividades do comércio local, tão impactado pelas cheias de 2023 e do último mês de maio. O presidente da entidade, Leonardo Bagnara, destaca...

Redes Sociais