Comunicação

Tendências do varejo para 2018

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

 FCDL-RS disponibiliza para os lojistas gaúchos as novidades apresentadas na NRF 2018

  

 

A FCDL-RS foi convidada especial do Grupo Gouvêa de Souza para participar de um evento fundamental para o desenvolvimento do varejo no Brasil. O Retail Trend Pós NRF 2018, levou o presidente Vitor Augusto Koch e dirigentes da entidade representativa do varejo gaúcho ao Rio de Janeiro para buscar conhecimento e compartilhá-lo com os lojistas gaúchos, a fim de incrementar o setor no Rio Grande do Sul.

 

- Participamos do Retail Trends Pós NRF pelo fato do evento ser uma oportunidade de troca de ideias e de disseminação dos aprendizados adquiridos nos Estados Unidos, além de oferecer um espaço para relacionamento entre os líderes do setor. É uma chance para estarmos a par das maiores novidades do varejo e disseminá-las entre os lojistas do Rio Grande do Sul – afirma o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.

 

Tecnologias influenciando a mudança do comportamento do consumidor

 

A NRF Retail’s Big Show é um dos grandes eventos mundiais de inovação do varejo mundial, mostrando, a cada nova edição, temas e conceitos que se destacam e marcam o ano. Em 2018, isso não foi diferente. Muito se falou na NRF no perfil do consumidor atual e de características como falta de paciência e a crescente necessidade de resolver tuto, literalmente, na palma da mão. Ou seja, o uso intenso da tecnologia englobando aspectos diversos como alimentação, locomoção e consumo.

 

Um sentimento para o qual as empresas varejistas devem estar atentas no que diz respeito as mudanças nas relações de consumo é o chamado “Atrito Zero”, no qual o cliente faz suas compras de forma autônoma e, da mesma forma, realiza o pagamento. Aqui, pode ser citado o exemplo da Amazon, que lançou sua loja Amazon Go, um supermercado sem caixas nem filas, onde ao passar pela saída da loja o consumidor tem os produtos que escolheu escaneados automaticamente, sem a necessidade de passar por um caixa e efetuar o pagamento de maneira convencional.

 

Outra lição relevante da NRF 2018 é que os varejistas estão correndo atrás dos seus clientes, que, literalmente, estão no comando. A busca por deixá-los comprometidos com a marca e para terem uma experiência de compra cada vez mais inesquecível é incessante. Atualmente, o consumidor começou a exigir do varejo mais compartilhamento, inovação e conveniência. Por isso, o varejo precisa repensar seu papel para se aproximar mais do consumidor. Quando se tem valores semelhantes aos dos clientes, é mais fácil se conectar a eles.

 

Nesse sentido, a adoção de tecnologias inovadoras que atendam as expectativas dos clientes e a minimização do atrito em suas jornadas de compra são fatores importantes. O incremento da tecnologia na relação loja/consumidor não deixa de lado a experiência que o consumidor tem com a marca. Ainda assim, temas como a Inteligência Artifical (IA), foi um dos mais comentados na edição de 2018 da NRF. O IA falado aborda o processo que “treina” computadores para processar grandes quantidades de dados e reconhecer os padrões de usuários e consumidores e, dessa forma, atender personalização que podem ser adaptados para cada indivíduo proporcionando a melhor experiência para cada consumidor.

 

Realidade Aumentada (RA) e Realidade Virtual (RV), são conceitos que também estão cada vez mais requintados e requisitados. Conhecer a RA permite que os compradores vejam a mercadoria dentro de seu próprio espaço e configurações pessoais. A RV faz com que o cliente entenda como funciona, ou como é algo que não está no ambiente.

 

A presença da tecnologia nas lojas físicas será intensificada com a ampliação do uso dos dispositivos móveis pelos vendedores. Dando aos funcionários acesso a dispositivos aos quais já estão familiarizados, a realização de operações de nível de loja será facilitada. Como exemplo, a confirmação de entrada, gerenciamento de inventários e estoques, localização de mercadorias e consulta de solicitações de clientes e gerenciamento de pedidos, tudo sem a necessidade de sair da área de vendas.

 

Experiências únicas para o consumidor

 

Ofertar aos consumidores, de forma consistente, experiências únicas e inesquecíveis no momento da compra também foi um aspecto destacado na NRFS 2018. A ideia é que surpresas positivas contribuem para cativar e fidelizar o cliente, fazendo-o ter em presente em seu coração o atendimento, a satisfação e a referência da loja e da marca.

 

Por isso, cresce em importância proporcionar capacitação para os colaboradores, pois eles representam o elo de ligação entre sua empresa e os consumidores. Personalizar o atendimento e corresponder aos desejos dos clientes são aspectos que se sobressaem cada vez mais para se diferenciar no exigente mercado dos dias de hoje.

 

Ter um propósito bem definido e saber compartilhá-lo, além de atrelá-lo às novas tecnologias, são desafios que estão se apresentando para os lojistas. A NRF 2018 demonstrou, de forma cristalina, que a aceleração evolutiva das tecnologias é muito forte. Definitivamente, caiu a ideia de varejo digital e físico. Tudo é varejo!

 

Para os próximos anos a informação e a tecnologia de dados serão fundamentais dentro do varejo. Os lojistas precisarão interpretar as informações com a maior rapidez possível, usando-as para entender o que o consumidor está falando, possibilitando a geração de mais receita.

 

Resumo das palestras apresentadas no Retail Trends Pós NRF 2018

 

Palestra: Atualização sobre a reforma da Previdência e seus impactos

Palestrante: José Marcio Camargo – Doutor em Economia pelo MIT

 

O doutor em Economia pelo MIT, José Marcio Camargo, falou no Retail Trends sobre os impactos da Reforma da Previdência na economia brasileira. Para o painelista, sem reforma o sistema não é sustentável. Ele lembrou, ainda, que o Brasil tem a segunda maior contribuição previdenciária do mundo.

 

- O rombo do regime de Previdência Social dos Servidores Públicos, PSSP Federal, foi maior do que a soma dos orçamentos de Segurança Pública, Habitação, Saneamento, Ciência e Tecnologia, Comunicações, Energia, Transporte, Desporto e Lazer, Cultura , Indústria, Organização Agrária, Comércio e Serviços, Gestão ambiental e Bolsa família, juntos - disse.

 

José Marcio Camargo trouxe dados sobre o impacto no orçamento federal dos gastos com o atual modelo previdenciário e foi enfático ao dizer que alguma reforma tem que ser feita. Se não for feita agora, terá que ser feita em dois ou três anos.

 

- Na minha avaliação, o Brasil está esquentando os motores para decolar. Mas ainda temos que resolver um problema grave e fundamental: o problema fiscal. Ou diminuímos os gastos com a Previdência Social ou não vamos solucionar isso – afirmou o painelista.

 

Palestra: Multipolarização: como o varejo usa valor, diferenciação e solução para posicionar-se de maneira relevante para o consumidor atual

Palestrantes: Eduardo Yamashita – COO Grupo GS& / Luiz Alberto Marinho – Sócio Diretor GS&MALLS

 

No Retail TrendsEduardo Yamashita, COO do Grupo GS& e Luiz Alberto Marinho, sócio-diretor da GS& Malls realizaram uma apresentação sobre as mudanças e adaptações que o varejo está realizando para atender às novas exigências do consumidor atual e se destacar perante os concorrentes. O conceito de multipolarização aborda como o varejo deve usar valor, diferenciação e solução para posicionar-se de maneira relevante para o omniconsumidor.

 

Um estudo global indica que a preferência dos consumidores por preço e acesso está crescendo, no entanto eles desejam isso sem abrir mão da qualidade. A experiência de compra diferenciada é importantíssima. Conforme destacou Marinho, quem só vende fica para trás. Yamashita contou sobre o exemplo da rede Trader Joe’s, em Nova York.

 

- A produtividade deles é o dobro da Whole Foods (rede de supermercados de produtos naturais). Eles vendem o dobro da Whole Foods por metro quadrado – salientou.

 

Os enormes corredores das unidades da Trader Joe’s chamam a atenção. Isso é feito para que os clientes passem mais de uma vez por eles, comprando mais.

 

- Perguntamos para eles qual o maior desafio que enfrentam. Pensamos que responderiam suprimento ou qualquer outra coisa. A resposta surpreendeu: crowd control (controle de multidão). Isso acontece porque eles vendem produtos 20, 30, até 50% mais barato. Eles têm marcas próprias e investem nisso de forma agressiva – enfatizou Yamashita.

 

Marinho e Yamashita comentaram ainda outros exemplos que visitaram em Nova York. A rede Target, que funciona como um misto de loja de departamento com supermercado, tem funcionários que trabalham em torno de cinco horas por dia, quando realmente há clientes para atender. Outro exemplo é o da Lego, que tem vendedores que são verdadeiros embaixadores da marca, além de uma flagship store em que é possível fazer produtos personalizados.

 

Palestra: O que esperar da economia em 2018

Palestrante: Zeina Latif – Economista Chefe da XP Investimentos

 

Em sua palestra no Retail Trends a economista chefe da XP investimentos, Zeina Latif, falou sobre as previsões para a economia brasileira em 2018. Ela destacou que o momento é de recuperação gradual, após a mais grave crise fiscal que o Brasil já enfrentou.

 

- O Brasil enfrenta aumentos de gastos que são automáticos, devido a políticas públicas que não funcionam. Se isso não mudar, teremos que criar uma CPMF por ano para cobrir os gastos – afirmou.

 

Zeina também falou sobre a importância de uma agenda de reformas estruturais, para evitar que os erros cometidos até hoje na economia sejam repetidos. Para ela, sem reformas, o Brasil virará Rio de Janeiro não em dez anos, mas já. Não é para o futuro é para agora. Essas reformas estão entrando no discurso político.

 

Na visão da economista, um dos principais erros foi a estimulação excessiva da economia, que gera inflação. Esta alta dos preços leva a uma insatisfação generalizada da população, mesmo que de forma inconsciente. Zeina defende que o controle da inflação evita discursos populistas, podendo influenciar os resultados da eleição deste ano. Este é o motivo pelo qual o ano de 2019 será verdadeiramente decisivo.

 

- O presidente tem que vir com agenda. Caso contrário, o mercado vai perceber que prometeu, prometeu e não cumpriu. É com a nova eleição que o quadro atual poderá ser revertido – concluiu.

 

Palestra: Serviços no Varejo

Palestrantes: Marcos Gouvêa de Souza – Diretor Geral Grupo GS& / Tiago Simões – Diretor de Marketing Sonae MC

 

Marcos Gouvêa de Souza, fundador e diretor-geral do Grupo GS& e Tiago Simões, diretor de Marketing da SonaeMC realizaram, no Retail Trends, uma palestra sobre a oferta de serviços no varejo.

Marcos Gouvêa de Souza trouxe os resultados do estudo global sobre o tema Services@Retai, salientando que quanto mais madura a população, mais ela gasta com serviços e não produtos.

 

- Com a tendência global de envelhecimento da população, é natural que esse crescimento se estabeleça. Assim, os varejistas devem investir na oferta de serviços, para atender à demanda dos consumidores – destacou Marcos Gouvêa de Souza.

 

Uma das provas deste fato é o crescimento da participação dos serviços no PIB, de 66 para 73%.

 

Tiago Simões falou sobre a ampla área de atuação e os serviços oferecidos pelo grupo SonaeMC, o maior grupo varejista de Portugal, com presença em 90 países.

 

- Nosso objetivo é servir o cliente. Este é o nosso propósito de atuação. De um negócio focado apenas em alimentação, a rede se expandiu para diversas áreas. Fomos muito além dos supermercados. Hoje somos líderes em outros setores, como telecomunicações, com a maior operadora de celular de Portugal – enfatizou.

 

O grupo Sonae atua com serviços financeiros, como cartões de crédito e de lojas, esporte e moda (área em que é líder na Península Ibérica), farmácias, pet, moda para bebês, entre muitos outros setores. O foco é a oferta de serviços. Nas farmácias da rede Wells, é possível ver o grau e fazer os óculos, além de contar com um plano de saúde gratuito.

  

Palestra: Big Bang do Varejo  

Palestrante: Alexandre Van Beeck – Sócio Diretor GS&Consult

 

Alexandre Van Beecksócio-diretor da GS&Consult, em sua palestra no Retail Trends, afirmou que o varejo está vivendo um verdadeiro “Big Bang”, com marcas tradicionais precisando se reinventar com a entrada de novos players digitais ao competitivo e volátil cenário mundial.

 

De acordo com Van Beeck, para lidar com a volatilidade do mercado e as exigências do ominiconsumidor, o varejo deve pensar de forma única e integrada. O consultor especialista em varejo comentou sobre cases que foram apresentados durante a NRF e que mostram caminhos desta transformação que está acontecendo no âmbito global.

 

Citando alguns exemplos de grandes redes de varejo que vivem esse processo, destacou o Walmart, que encabeça a lista dos maiores players do varejo mundial e possui uma das maiores redes de lojas nos Estados Unidos, que está investindo em modelos menores, mais ágeis e que incorporam iniciativas do digital. A Amazon, gigante do e-commerce, também está fazendo o caminho inverso, experimentando o varejo físico, primeiro com a Amazon Books, uma livraria, e agora com a Amazon Go, o supermercado que promete acabar com as filas dos caixas.

 

Mas a Amazon não está só. O chinês Alibaba também mostrou, durante a NRF, que não é apenas um e-commerce. Mas sim um grande ecossistema, com diferentes negócios, totalmente integrados. Com apenas um cadastro, a companhia identifica o consumidor, seja online ou em uma loja de sua rede de supermercados, o Hema Market, uma de suas apostas para o varejo.

 

Para que essa experiência funcione no Brasil a receita de Van Beeck é manter o foco no omniconsumidor e repensar o negócio.

 

Palestra: Tecnoera e Oministory

Palestrante: Pedro Padis – Diretor GS&COMM

 

Outro tema destacado no evento foi a Tecnoera e a forma como os varejistas estão utilizando as novas tecnologias. Na apresentação de Pedro Padis, sócio-diretor da GS& Comm, o especialista destacou a plataforma-laboratório Omnistory, que está em funcionamento no Shopping Villa Lobos, em São Paulo, e suas soluções de integração de canais, on e off, uso de novos canais, como lockers, App, vending machine e cadastro Omni.

 

- O consumidor precisa ser o centro de todas as nossas estratégias. Precisamos canalizar isso - destacou Padis.

 

O executivo falou também sobre a importância de conhecer o comportamento do consumidor dentro da loja e como o uso de ferramenta de Reconhecimento Facial, Facemedia contribuem com relatórios aprofundados sobre a experiência dos consumidores no ponto de venda.

 

Palestra: Simplicidade Sofisticada

Palestrante: Jean Paul Rebetez – Sócio Diretor GS&Consult

 

Jean Paul Rebetez, sócio-diretor da GS&Consult, realizou, no evento, a palestra “Simplicidade Sofisticada: Abordagem completa de entrega da experiência end to end  para o  omniconsumidor”.

 

O palestrante destacou exemplos de grandes varejistas que estão passando por transformações, como a Amazon que passou do mundo virtual para as lojas físicas e deixou alguns conselhos.

 

Olhe para as necessidades do consumidor, não somente para os dados. Assim você vai ter o caminho das mudanças que precisa fazer. A jornada é única e individual, a experiência de compra é diferente para cada cliente e as tecnologias não resolvem todos os problemas. Pessoas são mais importantes que tecnologia - lembrou Rebetez.

 

Palestra: Realidade Virtual transformando a experiência de compra e inovando canais de vendas e relacionamento

Palestrante: Ricardo Ramos – GS&XtremeVR

 

Ricardo Ramos, sócio-diretor da GS&XtremeVR, falou sobre como a realidade virtual pode transformar a experiência de compra.

 

- A tecnologia muda o mundo e a forma de interagir. Surge a partir de uma grande ideia, algo novo e útil, primeiro em um ambiente restrito e, quando é comprovado que ela funciona, se dissemina – afirmou.

 

Na avaliação de Ricardo Ramos, para uma tecnologia ser estabelecida são necessários uma série de investimentos, como em disseminação e infraestrutura. Ou seja, fazer as pessoas conhecerem esse produto e fazer com que ele seja viável.

 

Exemplo disso é o e-commerce, que começou aos poucos, mas hoje, por exemplo, a Black Friday dobrou em quatro anos. A realidade aumentada e virtual, que está cada vez mais presente no mundo é outro exemplo.

 

- Foram realizadas diversas pesquisas, como uma que indica que o mercado de realidade virtual será maior que o de TVs em 2025 – finalizou o painelista.

 

Palestra: Experience Design

Palestrante: Manoel Alves Lima – CEO FAL Design

 

Manoel Alves Lima, CEO da FAL Design Estratégico para o Varejo, falou, no evento, sobre como o design materializa as experiências no ponto de venda. O arquiteto destacou a mudança na relação entre consumidores e as marcas de varejo.

 

Ele ressaltou a importância de transformar a loja em um ponto de comunicação e que cumpra uma função didática, já que o consumidor cada vez mais espera que a loja ensine como usar a última tendência de moda ou o eletrônico mais novo.

 

- O que nós, consumidores, queremos encontrar em uma loja é experiência e encantamento – lembrou Manoel Lima.

 

O painelista reforçou que o consumidor cada vez mais tem a oportunidade de comprar tanto na loja vizinha quanto direto da China. Assim, as marcas precisam entregar cada vez mais propósito, e o design é a ponta que vai materializar tudo isso  no ponto de venda.

 

Palestra: Uber Combinatividade

Palestrantes: Eduardo Yamashita – COO Grupo GS& / Yuri Sonoda – Sócio Diretor Facemedia

 

Eduardo Yamashita, COO do Grupo GS& e Yuri Sonoda, sócio-diretor do Facemedia destacaram o tema Uber Combinatividade durante o Retail Trends.

Yamashita trouxe muitos exemplos de lojas conceito existentes em Nova York. A unidade da Cadillac, por exemplo, vende estilo de venda, não apenas carros.

 

Outro exemplo automobilístico é o da Ford Hub, que, por incrível que pareça, não tem carros.

 

- Eles não tentam vender automóveis, mas mobilidade. O que ela e todas essas montadoras tem em comum é que estão percebendo que com a chegada dos carros autônomos não dá para tentar manter a indústria como está - ressaltou Yamashita.

 

A Tesla é mais um case de sucesso. Ela não criou apenas carros elétricos de luxo, mas toda uma infraestrutura. A empresa instalou superchargers por todo os Estados Unidos, em suas rodovias. O consumidor pode parar em qualquer um deles e carregar seu automóvel em apenas 20 minutos. Ela criou ainda geradores especiais com uso de energia solar para que as famílias sejam autossuficientes em energia e possam carregar seus automóveis.

 

Todos esses exemplos foram usados para demonstrar o conceito da uber combinatividade.

 

- A criatividade advém de boas ideias. A combinação de várias conexões criativas gera a uber combinatividade - explicou Eduardo Yamashita.

 

Yuri esclareceu que as inovações vêm das combinações de ideias que já existem. Ele citou o conhecido ditado, “Nada se cria, tudo se copia”. O especialista trouxe mais exemplos dessa união de soluções.

 

- É difícil imaginar uma startup de colchões, mas foi o que nasceu. O primeiro exemplo sócio da marca vinha do mercado de startups, era investidor do setor. O segundo vinha da família tradicional de uma fabricante de colchões. Dessa união surgiu a Leesa com todo um conceito inovador – finalizou Yuri Sonoda.

 

Palestra: Data Business

Palestrante: Fabio Sayeg – CEO Zoly Data Driven Marketing

 

Ainda sobre como colocar o consumidor no centro estratégico do seu negócio, Fábio Sayeg, CEO da Zoly falou sobre Data Business, ou seja, negócios que são transformados por dados.

 

Pois não basta coletar dados. Para levar a experiência e a personalização da oferta para o consumidor independente dos canais, é necessário interpretar os dados coletados de forma estratégica. 

 

- Mas o Varejo ainda não está sabendo aproveitar essa oportunidade – comentou Sayeg.

 

Palestra: Lab-It: A cultura do laboratório como mecanismo de inovação sustentável

Palestrantes: Caio Camargo – Sócio Diretor GS&UP / Fabiana Mendes – Sócia Diretora GS&Friedman

 

As startups também são parte importante do universo do varejo. Sendo assim, o tema fez parte do Retail Trends. Na palestra “Lab-It: A cultura de laboratório como mecanismo de inovação sustentável”, Caio Camargo, sócio-diretor da GS&UP e Fabiana Mendes, sócia-diretora da GS&Friedman destacaram as novas empresas que surgem no varejo e os laboratórios para experiências inovadoras.

 

Para abrir a apresentação, a dupla trouxe o novo foguete que a Tesla lançou no espaço com um carro da marca que está colhendo imagens. O exemplo foi usado por Camargo para explicar que inovação não é apenas pensar fora da caixa. É ter uma ideia que seja aplicável e faça sucesso. A inovação está em explorar estas boas ideias.

 

Esta inovação passa por toda uma reestruturação de negócio, de cultura da empresa.

 

- Cultura de inovação é mais que deixar os funcionários irem de bermuda trabalhar. Nem todas as empresas estão conseguindo se adaptar a isso - explicou o palestrante.

 

Para trazer a inovação, o varejo se utiliza de basicamente dois modelos: externo que são as startups e interno que são os laboratórios.

 

- As startups são basicamente empresas que pegam um pequeno problema do mercado para trazer a solução. Todas as startups nascem assim: novas formas de solucionar velhos problemas - falou Camargo.

 

Fabiana Mendes, por usa vez, salientou que grandes exemplos como Airbnb e Uber deram certo porque têm DNA de inovação. Normalmente estas empresas são criadas por jovens da geração Y, que querem criar novas formas de pensar.

 

A especialista explicou o que deve ser feito para colocar em prática ideias inovadoras.

 

- Precisamos de equipes engajadas. Esta é a primeira fase para uma experiência de laboratório dar certo. A partir disso, essas equipes precisam sair para ter ideias disruptivas e finalmente construir fisicamente essa estrutura de laboratório. Esse resultado precisa ser mensurado com feedbacks para aperfeiçoamento e então ser ampliado e colocado como modelo definitivo. Mas isto não deve gerar acomodação. Os laboratórios são uma forma de repensar os negócios continuamente – concluiu Fabiana.

 

Palestra: Propósito: Fator indispensável para orientar os rumos do varejo

Palestrantes: Luiz Alberto Marinho – Sócio Diretor GS&MALLS e Lyana Bittencourt – Sócia Diretora Grupo Bittencourt

 

Empresas com propósito foi o temas da apresentação de Luiz Alberto Marinho, sócio-diretor da GS&Malls e Lyana Bittencourt, sócia-diretora da Bittencourt.

 

- Propósito tem a ver com o porquê da empresa existir. Algo que vá além de simplesmente gerar lucro - disse Lyana. Ela lembrou que os consumidores preferem consumir de empresas que tem propósito claro, uma preocupação com as pessoas e estão cada vez mais exigentes neste sentido. No entanto, menos de 35% das empresas possuem. E este é um problema grave.

 

- Quem não tem propósito, não tem alma. As companhias que tem são as mais perenes – destacou Lyana

 

Lyana e Marinho trouxeram vários exemplos de corporações com propósito. A americana CVS Pharmacy se comprometeu a eliminar produtos com tabaco do seu portfólio, já que vende qualidade de vida e saúde. Os resultados puderam ser mensurados: 8 meses depois, a imprensa retratava a rede como sendo criativa e verdadeira. E o mais importante: 260 mil pessoas procuraram ajuda para parar de fumar. A CVS demonstrou estar mais preocupada com o bem estar do consumidor do que com o lucro.

 

Marinho esclareceu que normalmente as empresas com propósito tem valores em comum com as pessoas, busca se conectar emocionalmente e melhorar a vida delas. Ele trouxe para ilustrar o exemplo da American Girl, que tem como propósito empoderar as meninas, permitindo que construam bonecas como quiserem. Outro exemplo é o da flagship da Adidas.

 

- A marca defende que pessoas que praticam esportes são mais felizes. Eles têm uma quadra de basquete, pista de corrida. No lugar do café há um juice bar. Ou seja, quer que as pessoas tenham um estilo de vida mais saudável – lembrou Marinho.

 

Para concluir Lyana lembrou que a nova geração vai exigir cada vez mais das empresas a preocupação com algo além do lucro. Marcas sem propósito são marcas sem alma.

 

Palestra: O Brasil que queremos em 2022

Palestrante: Flávio Rocha – Presidente Riachuelo

 

O presidente da Riachuelo, Flávio Rocha, finalizou a série de palestras do Retail Trends no Rio de Janeiro, falando sobre “O Brasil que queremos em 2022”. Ele fez uma convocação para que o empresariado brasileiro alinhe ideologicamente o raciocínio para a construção do país que queremos em 2022, quando serão comemorados os 200 anos da Independência do Brasil.

 

Rocha defendeu maior participação dos empresários nos rumos do País. A importância e o poder dos empreendedores para promover mudanças no Brasil, avaliou o executivo, teriam sido negligenciados pelos empresários nos últimos anos.

 

 

 

 

 

 

 

R. Doutor Flores, 240 2°Andar - Centro Histórico | Porto Alegre - RS | CEP 90020-120 | (51) 3213.1777 | fcdl@fcdl-rs.com.br

© 2018 Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do RS. Todos os direitos reservados.

Procurar